8 de ago de 2008

A verdade está no íntimo – Parte II

A verdade está no íntimo – Parte II

Frequentemente externamos um pouco da nossa PI, revelando somente aquilo que achamos ser seguro e adequado passar adiante. Isso se chama “agir socialmente”.

Júlia está com problemas pessoais em casa, há algum tempo ela e o marido não se acertam. Além disso, ela dificilmente encontra tempo para se divertir com os filhos. Isso a está deixando frustrada. Hoje, depois de uma discussão matinal com o marido, Júlia vai trabalhar, e lá, tem de explicar ao chefe porquê atrasou tanto na entrega de alguns relatórios por ele antes pedido. Ela sabe que deve agir socialmente. Terá que demonstrar contentamento mesmo diante de tudo que está sentindo internamente. Veja o diálogo:

_ Oi Júlia! Bom Dia!
_ Bom dia! (PI – bom dia só se for para você, o meu já começou péssimo).
_Vamos direto ao ponto. Você deveria ter entregado os relatórios que pedi na semana passada. Por que ainda não o fez?
_Chefe, na verdade eu já comecei a fazer, mas fiquei atarefada com outras coisas durante a semana, por isso o atraso. (PI – estou com milhares de problema na minha vida pessoal, será que você não percebe isso?).
_Atarefada? Júlia, eu te pago muito bem para você me dar essa desculpa. Isso é inadmissível. Se está deixando acumular serviço, se esforce mais!
_Você está certo chefe, acho que desandei um pouco. Não consegui me organizar bem, mas vou mudar isso. (PI – Seu imbecil! Você acha que a minha vida é só dedicação a este emprego? Não! Tenho minha casa, meus filhos, meu marido, ah meu marido. Por que você é tão insensível?).
_É bom mudar mesmo, porque lá fora há uma fila de pessoas querendo trabalhar aqui e ocupar a sua vaga. Melhore seu desempenho ou terei que tomar uma atitude mais drástica da próxima vez.
_Não será preciso chefe. Isso não voltará a acontecer. (PI – Que vontade de jogar tudo para o ar e sair gritando dessa sala, e claro, dar um soco na cara desse idiota!).
_Pode sair agora. Quero os relatórios hoje na minha mesa até às 14h00min, ou teremos um problema sério com isso.
_Mas chefe é pouco tempo para concluí-los. (PI – você é realmente insensível mesmo, eu com tantos problemas e você ainda exige mais e mais de mim?).
_Isso não é problema meu, Júlia. Se vire! Até mais!
_Até mais chefe. (PI – Tchau! Seu cretino).

Por que o chefe não percebe o que de fato se passa na vida da Júlia?Ele não enxerga a PI dela.
Por que Júlia não expressa para o chefe sua PI?
O contexto social não permite (não é seguro, nem adequado).

Perceba quantas vezes algo parecido acontece com a gente no dia-a-dia. Comece a enxergar aquilo que você guarda e aquilo que você libera. Por que guardou? Por que liberou? Comece a perceber quem é a sua PI. Ela é a sua essência, a sua maior verdade. Nela estão guardados todos os seus segredos, desejos e medos. A partir desse pequeno reconhecimento poderemos saber o que é bom guardar, o que é bom liberar, e o mais importante, como enxergar a PI de uma pessoa através da sua PE, ajudando em muito o convívio social.

(continua...)
Compartilhe:

Categorias

© Carlos Mion Todos os direitos reservados.