26 de out de 2008

A verdade está no íntimo – Parte Final



Depois de um longo período sem postar (foi por uma boa causa - reformulando certas teorias), sinto-me na missão de dar fim a pequena série (simplória série) que dei início um tempo atrás.

Sem sombra de dúvidas, a maioria das pessoas com problemas comportamentais - dos simples desentendimentos familiares, ao casos mais extremos do tipo "ex-namorado mata ex-namorada" - tem seu ponto sensível no interior do indivíduo (PI). Falta de compreensão de si mesmo, de seus próprios atos, e da reação que atos alheios podem lhes causar.

Antes de buscar a razão para seus problemas em algo externo, procure compreender a si mesmo, em grande parte, é a forma como interpretamos as situações corriqueiras do dia-a-dia que faz com que nos sintamos mal, assim como também, a dificuldade em expressar-se é uma das principais formas da destruição física.

Você se enxerga da mesma forma que as pessoas enxergam você?

Talvez nunca tenha pensado nisso, e por isso mesmo, tenha sempre criado expectativas frustradas a respeito da reação que outras pessoas tem de você, dos seus atos.

Nosso foco está sempre nas atitudes externas, agimos sempre conforme as coisas "deveriam ser" e não como de fato "são". Olhe para dentro, questione-se, descubra a melhor maneira de expressar exatamente aquilo que sente, e o mais importante, compreenda que nem sempre aquilo que deseja expressar será compreendido e aceito exatamente da mesma forma que aconteceria se alguém fizesse o mesmo com você.

Compreender-se, antes e tudo, é de fundamental importância para si mesmo.
Compartilhe:

Categorias

© Carlos Mion Todos os direitos reservados.